5 Histórias de Empreendedores de Sucesso para você se inspirar

Muitas das vezes, os desafios de ter o próprio negócio ou até mesmo de ser bem-sucedido na profissão que escolhemos parecem maiores do que podemos suportar.

No entanto, nesses momentos podemos recorrer a algumas histórias de empreendedores de sucesso para nos dar motivação de seguir em frente de acordo com os objetivos que traçamos para as nossas vidas.

São essas pessoas que nos lembram que a crise é oportunidade de evolução, e que se não há solução, crie você mesmo a sua.

Hoje nós vamos conhecer 5 histórias de Empreendedores de Sucesso que mudaram a história do Empreendedorismo no Brasil e do Mundo para você se inspirar e colocar em prática no seu negócio.

1- Flávio Augusto: visão e motivação

Flavio Augusto era um jovem comum da Zona Oeste do Rio de Janeiro que estudava Ciências da Computação, sem grandes perspectivas, até que aos 19  anos um acontecimento o impactou a ponto de mudar totalmente a sua mentalidade: conheceu e encantou-se pela também jovem Luciana, sua esposa até hoje, que despertou no empresário a ambição por viver uma vida melhor.

Assim, quando começou a trabalhar na área comercial de um curso de inglês no Centro do Rio de Janeiro, sua habilidade para vendas e a gana por subir de nível na escala social o levou a se destacar rapidamente.

Apenas quatro anos depois já ocupava um cargo importante na empresa e tinha experiência suficiente para se ver capaz de abrir a sua própria escola de idiomas.

Largou a faculdade e, com o limite do cheque especial de R$ 20 mil dele e da mulher, fundou a Wise Up.

A Wise Up tinha uma proposta inovadora: enquanto a maioria dos cursos de inglês ofereciam uma formação de sete anos, a escola fundada por Flávio Augusto dispunha de um pacote competitivo, prometendo o ensino de inglês em apenas 18 meses.

Era ideal para os profissionais que já estavam no mercado de trabalho e queriam aprimorar o currículo.

Em pouco tempo, conseguiu os primeiros mil alunos na primeira unidade no Centro do Rio de Janeiro e abriu sua segunda filial na Avenida Paulista, em São Paulo, que passou a render R$ 500 mil por mês e permitiu a abertura de mais filiais, inclusive internacionais no Brasil, Argentina, Colômbia, México, Estados Unidos e China.

Em 2012, recebeu uma proposta do presidente da Abril Educação para comprar a Wise Up.

A essa altura, ele já tinha outros negócios, como a página Geração de Valor, que compartilha conhecimento sobre empreendedorismo, negócios e networking.

Depois de 12 meses de negociação, Flavio vendeu a empresa para a Abril Educação e se tornou o 2º maior acionista da empresa. Mudou-se com a família para Orlando e iniciou outros negócios, comprando um time de futebol e dando cursos sobre gestão empresarial através da Geração de Valor.

As lições que sua trajetória nos deixa é a aposta num nicho bem específico (profissionais que desejavam aprender inglês), a coragem de colocar a sua ideia em prática e a paciência para negociar a venda da sua empresa por um valor que de fato valesse a pena.

 

2- Steve Jobs: mestre na arte de criar necessidades

Principal nome da Apple, Steve Jobs ficou famoso por sua capacidade de criar necessidades e abrir mercados com as novidades tecnológicas da empresa.

A primeira delas foi o lançamento de um computador pessoal, numa época em que só se vendiam as peças separadamente, o que restringia sua compra apenas a engenheiros e técnicos.

Mais do que isso, Steve Jobs desenvolveu um modelo intuitivo de ser usado, que poderia ser manuseado por pessoas comuns.

Essa busca obsessiva pela inovação e por diferenciar o seu negócio foi o que tornou a empresa competitiva, mesmo diante do surgimento da gigante Microsoft.

Em tudo o que fazia, Jobs era capaz de ir muito além do convencional. Sempre com design “cool” e produtos que prometiam entregar experiências inovadoras, ganhou milhões de fãs por todo o mundo.

Não é coincidência o fato de a empresa ter experimentado sua pior fase quando Jobs se desentendeu com o CEO John Sculley, a ponto de ser demitido do negócio que ele mesmo fundou, no início dos anos 1980.

Em 1997, ele voltaria em grande estilo, para iniciar uma nova e promissora fase na vida da empresa, que lançaria nos anos seguintes produtos que até hoje são sonhos de consumo como iPad, iPhone e iPod.

Steve Jobs nos deixou em 2011, tomado por um impiedoso câncer, mas as suas lições haverão de inspirar empreendedores de todas as áreas pelas próximas décadas: inventar soluções inovadoras, criar necessidades e transformar o impossível em realidade, fazendo a sua fértil imaginação caminhar lado a lado com o trabalho duro e determinado.

Deixou como legado também a busca incessante pela excelência no atendimento aos clientes. Conheça neste artigo os 5 passos da Apple para a excelência no atendimento, que você pode começar a colocar em prática hoje mesmo no seu negócio.

 

3- Geraldo Rufino: o milionário ex-catador de latinhas

A história de empreendedor de sucesso de Geraldo Rufino começou muito cedo, aos 11 anos, por força da mais absoluta necessidade.

Para ajudar nas contas da família, começou a pegar latinhas no aterro onde morava e trocá-las, diariamente, por algumas moedas.

Focado, disciplinado e com visão empreendedora, usou parte do dinheiro das vendas das latinhas para criar um campo de futebol e, assim, lucrar pela locação do espaço.

Aos 14 anos, Rufino já tinha um Fusca e havia criado outro negócio, uma frota de carrinhos de madeira que alugava para os meninos fazerem carreto nas feiras.

Não contente com os pequenos empreendimentos que já geravam uma renda considerável todo mês, iniciou seu trabalho como office-boy no Playcenter.

Com o passar do tempo, reuniu o suficiente para presentear os seus dois irmãos com caminhões para trabalharem.

Foi então que um acidente deu perda total no caminhão e Rufino se viu diante de um enorme prejuízo.

Mas, habituado a ver oportunidade onde só se enxergava lixo e destruição, aproveitou para vender as peças do veículo e fundar uma empresa para vender peças de caminhão.

Infelizmente, outro “acidente” aconteceu neste novo caminho: a empresa quebrou por mau comportamento financeiro dos irmãos.

Endividou-se, mas conseguiu reestruturar a empresa, que hoje cresce 30% ao ano baseada em uma gestão inteligente e em uma equipe que veste a camisa da empresa.

É um caso de sucesso e uma inspiração para todas as pessoas que estão começando do zero ou querendo dar a volta por cima depois de adversidades e até mesmo reveses e decepções na vida pessoal com pessoas próximas.

 

4- Bill Gates: abrindo a janela da computação

Bill Gates é hoje considerado um dos homens mais ricos do mundo, e também um filantropo reconhecido pelas suas generosas doações.

O talento para a tecnologia já se destacava no colégio, quando desenvolveu um jogo da velha para jogar contra a máquina.

O DNA nerd viraria oportunidade de negócio quando, na adolescência, conheceu Paul Allen, que viria a ser seu futuro sócio.

Ambos desenvolveram juntos um programa que monitorava padrões de tráfego em Seattle, o Traff-o-Data, e conseguiram com isso juntar 20 mil doláres.

Aquele foi o embrião de um projeto muito mais ambicioso, que se concretizaria aos 19 anos de idade de Gates, ao criarem a Microsoft.

Mas a grande “janela” de oportunidade viria apenas 5 anos depois: quando a Apple lança no mercado o primeiro PC como conhecemos hoje, a IBM fecha contrato com a Microsoft para obter um sistema operacional e lançar um produto concorrente.

Bill Gates, que não tinha um sistema operacional, foi a uma microempresa que tinha desenvolvido o sistema para o processador da Intel e o comprou por 50 mil dólares.

Aprimorou e personalizou o programa, vendendo-o por 8 milhões de dólares e mantendo a licença sobre o produto. Assim, o jovem tornava-se milionário antes dos 30.

Mas não parou por aí. Bill Gates passou anos desenvolvendo o sistema conhecido como Windows (que significa janela em português) e criando produtos competitivos no mercado.

Em 1998, coloca um amigo como presidente da empresa e em 2006 decide iniciar seu afastamento para se dedicar à fundação de caridade Bill & Melinda Gates, fundada com sua esposa.

Bill Gates chegou a declarar que não gostaria de ter sido o homem mais rico do mundo, e já diminuiu muito esse número fazendo doações multibilionárias para sua fundação, com a qual implementa projetos ligados à saúde e educação. É ou não um empreendedor de sucesso visionário e com um coração tão grande quanto a sua fortuna?

Essa história de empreendedor de sucesso nos deixa a lição de um talento, seja ele comum ou incomum, pode se transformar numa grande oportunidade de negócio. E que o lucro dessa ideia pode ajudar a fomentar muitos outros projetos capazes de fazer a diferença nos mais diversos segmentos.

 

5- Henry Ford: de operário de fábrica a empresário milionário

Henry Ford nasceu ainda no século XIX, em 1863, em uma família humilde de agricultores, mas a sua história de empreendedor de sucesso ainda hoje ecoa nas universidades, empresas e qualquer lugar onde o assunto seja empreendedorismo.

Ambicioso, já com 16 anos foi trabalhar na cidade vizinha como operário e deixou a fazenda dos pais. Embora a jornada de trabalho nas fábricas fosse exaustiva e repetitiva, Henry conseguiu se destacar e, aos 30 anos, assumiu o cargo de engenheiro chefe, quando sua veia empreendedora se manifestou pela primeira vez.

Tomou coragem, então, para fundar a sua primeira empresa, a Detroit Automobile Company, que durou apenas alguns meses e foi fechada devido a brigas entre os sócios quanto ao modelo de produção.

As lições aprendidas com os seus próprios erros não foram suficientes para evitar que Ford quebrasse a segunda vez, em sua fábrica de carros de corrida.

Perseverante – para não dizer teimoso -, contra todos os conselhos que recebeu Henry desenvolveu junto a Harold Wills o “999”, um carro de corrida que foi pilotado por Barney Oldfield e finalmente o levou para a fama depois de se tornar campeão.

Aos 40 anos, Henry Ford finalmente conquistava um sonho grande e, com o sucesso alcançado, conseguia fundar uma das maiores companhias de carro do mundo, a Ford Motor Company.

O modelo fordista, muito conhecido nos livros de história, introduziu uma nova filosofia de trabalho. A jornada de trabalho, que antes chegava às 14 horas por dia, agora passava a ser de 8 horas.

Além disso, a “linha de montagem” criada por Ford permitia produzir um carro a cada 98 minutos. As ações da empresa eram divididas com seus colaboradores, o que facilitava a expansão do negócio e, consequentemente, o aumento do lucro.

Em 1908, o Ford “T” é apresentado e se torna um sucesso absoluto, custando menos de 400 dólares e com mais de 15 milhões de unidades vendidas em menos de 20 anos.

Não à toa, a Ford permanece viva e forte até hoje, graças ao DNA empreendedor de seu visionário e corajoso fundador.

Essa é mais uma das histórias de empreendedores de sucesso que deixam como lição a perseverança, a busca obsessiva pela inovação e o foco em impressionar os clientes.

 

E aí, inspirado para fazer e acontecer no seu negócio? Aproveite e saiba também como ser um líder de sucesso

 

Comentários